Após prisão de empreiteiro, UTC tenta se desfazer de aeroportos de Feira e de Viracopos

Após prisão de empreiteiro, UTC tenta se desfazer de aeroportos de Feira e de Viracopos
Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo

A UTC passa por uma grave crise desde a prisão do empreiteiro e dono da empresa, o baiano Ricardo Pessoa. Ele foi detido em novembro do ano passado pela Polícia Federal, acusado de ser um dos líderes do esquema de corrupção na Petrobras, e agora o grupo tenta se livrar de negócios para pagar dívidas com bancos. Segundo a Folha de S. Paulo, a UTC tenta se desfazer da operação do aeroporto de Feira de Santana e a da participação de 23% no aeroporto de Viracopos, em São Paulo. Vendendo esses ativos, a empresa espera alongar o prazo para pagamento da dívida de R$ 1,2 bilhão. Entre os principais credores estão os bancos Bradesco, Itaú, Santander e Banco do Brasil. Desde novembro, ela também já demitiu metade dos seus 30 mil funcionários. Por conta o envolvimento na Operação Lava Jato, a UTC é uma das 23 empresas que estão proibidas de fazer novos contratos com a Petrobras, prejudicando a sua situação financeira. Nesta quarta-feira (13), Ricardo Pessoa assinou um acordo de delação premiada para colaborar com as investigações.


(Bahianoticias)
Compartilhe no Google Plus