Descontentes aguardam fusão de olho em mudança de ninho

ão tenho nenhuma intenção de sair. Minha ideia é continuar no partido, democratizar o partido”, diz Caetano
Após as fusões partidárias do PTB e DEM e PSB e PPS, que tem encontrado, na ultima semana, algumas barreiras para se concretizar, muito se especula a respeito da saída de políticos para outras legendas. Não só pela insatisfação com a linha ideológica de uma das siglas, como é o caso do vereador petebista Edvaldo Brito em relação ao DEM. Mas também devido ao fato de que com as siglas fundidas, alguns políticos, na tentativa de alçar novos caminhos, ou até mesmo desgostosos com o andamento do próprio partido, podem buscar uma nova legenda. É o caso, por exemplo, do senador Walter Pinheiro (PT), que estaria disposto a deixar a sua sigla, na qual militou durante 29 anos, completados este mês. Apesar de circular incessantemente nos bastidores políticos a informação de que o senador estaria desgostoso com PT, o próprio nega e não descarta a possibilidade de enfrentar as eleições municipais em 2016. Com o PT já admitindo dificuldades na disputa pelas prefeituras no ano que vem, outros petistas históricos que estariam pretendendo disputar o pleito têm ameaçado abandonar o partido. O deputado federal Luiz Caetano, por exemplo, seria um desses. Ele estaria planejando sair do PT para migrar para o PROS, com vistas em uma possível candidatura à prefeitura de Camaçari, onde disputaria com o seu ex-aliado Ademar Delgado. Caetano também nega. “Isso é mera especulação, não existe nenhuma conversa nesse sentido. Eu rompi com Ademar, mas diversos partidos acharam que eu sairia do PT e começaram a me convidar. Mas não tenho nenhuma intenção de sair. Minha ideia é continuar no partido, democratizar o partido”, afirmou à Tribuna.
Tribuna da Bahia
Compartilhe no Google Plus