Moro bloqueia R$ 78 milhões de alvos da nova fase da Lava Jato

Moro bloqueia R$ 78 milhões de alvos da nova fase da Lava Jato
Foto: Gil Ferreira / Agência CNJ
A Justiça Federal bloqueou R$ 78 milhões do lobista Milton Pascowitch e de outros investigados da nova fase da Operação Lava Jato. Segundo publicado no Estadão, Pascowitch está sob suspeita por lobby para o PT e pagamento de R$ 1,45 milhão para a JD Assessoria e Consultoria, empresa do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil, no governo Lula). O juiz Sérgio Moro, quem ordenou o bloqueio dos valores, também mandou prender o lobista nesta quinta-feira (21). Pascowitch é investigado como operador de propinas na Diretoria de Serviços da Petrobras, na época sob comando do engenheiro Renato Duque, preso pela operação em fevereiro. A força-tarefa que investiga o esquema de corrupção na estatal suspeita que ele repassava dinheiro de propina para Dirceu sob "disfarce" de consultoria. O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, membro da força-tarefa do Ministério Público Federal, disse que "há alguns indicativos" revelados pelo empreiteiro Gérson de Mello Almada, diretor da Engevix, de que a empresa de Pascowitch, a Jamp, era contratada para fazer lobby para o PT. A investigação apontou pagamentos para empresa de Renato Duque e para empresas de José Dirceu. "O esquema criminoso em questão gerou ganhou ilícitos a eles (Pascowitch e outros investigados), justificando-se a medida para privá-los do produto de suas atividades criminosas", justificou Moro. Para o juiz, "não importa se tais valores, nas contas bancárias, foram misturados com valores de procedência lícita". Moro observou que a medida "apenas gera o bloqueio do saldo do dia constante nas contas ou nos investimentos, não impedindo a posterior movimentação". Caso haja bloqueio de valores referentes a salários, Moro deve liberar o dinheiro com solicitação dos investigados.

(Bahianotícias)
Compartilhe no Google Plus