Voto aberto: Régis é a favor, exceto em três casos; Zé Neto vai consultar bancada

Voto aberto: Régis é a favor, exceto em três casos; Zé Neto vai consultar bancada
Foto: Alexandre Galvão/Bahia Notícias
Com a reapresentação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que estabelece o voto aberto em todas as votações da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (12), o tema promete ser o novo alvo de discussões mais acaloradas na Casa. O líder da oposição, Sandro Régis (DEM), afirma já ter opinião formada sobre o assunto. “Concordo com voto aberto, excepcionalmente em três casos: escolha de conselheiro, derrubar veto do governador, escolha de presidente”, declarou. A razão para a exceção nestes casos está baseada na preservação da autonomia do Legislativo. “[Dessa forma] Não tem como o Executivo exercer influência sobre o parlamentar. Se você faz um projeto de lei, o governador veta, você tem coragem de votar contra o governador? A não ser se for para ser mero carimbador do Executivo, coisa que às vezes já é”, argumentou. 



Foto: Divulgação/AL-BA
Perguntado sobre a influência do voto aberto na exposição política dos parlamentares, Régis desconversou: “Isso não foi para o plenário ainda...”. O líder do governo, Zé Neto (PT), preferia não se manifestar sobre a possível mudança. “Esse debate deve ser tratado com paciência na Casa. Tenho meu posicionamento pessoal, mas prefiro não externá-lo até ouvir minha bancada”, pontuou. Apesar de não apontar preferência, o petista afirma que a discussão “tem nuances”. “Em tese, é bom que seja tudo aberto, mas em algumas situações pode afetar a independência, como alguns deputados acham”, explica. De acordo com Neto, o assunto da PEC ainda não é objeto de debate. “O tema é bom. Em tese, quando mais transparência melhor, mas como vem sendo questionado por alguns deputados, pode parecer que haverá uma pressão contrária à independência. Mas está tranquilo”, disse. (Bahianoticias)
Compartilhe no Google Plus