Oposição afirma que Dilma é culpada das pedaladas fiscais

Senador Aécio Neves (PSDB-SP)
Integrantes da oposição afirmaram nesta segunda-feira, 22, que a culpa pelas chamadas “pedaladas fiscais” é da presidente Dilma Rousseff e não pode ser imputada ao ex-secretário do Tesouro Nacional Arno Augustin. A manobra, que consiste em atrasar repasses do Tesouro a bancos públicos, foi condenada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Para o senador Aécio Neves (PSDB-SP), o fato de o governo continuar adotando a prática este ano mostra que a “responsabilidade” sobre a decisão é da petista. “Agora, tentam transferir para um membro da equipe econômica essa responsabilidade. A responsabilidade é da presidente da República. Continuar a fazer isso é um acinte, um desrespeito absoluto àquilo que foi de mais valioso que nós conseguimos construir do ponto de vista da administração no Brasil que foi a Lei de Responsabilidade Fiscal”, afirmou. O tucano disse ainda que “essa reiterada prática delituosa” deve levar o Ministério Público a se manifestar sobre o assunto e até mesmo abrir uma investigação contra Dilma. Ele, no entanto, disse que o PSDB vai esperar pela decisão do TCU, que deu 30 dias para o governo dar explicações sobre as contas de 2014, para definir se cabe um pedido de impeachment contra a presidente. O líder do DEM, senador Ronaldo Caiado (MS), também afirmou que Arno Augustin não pode ser responsabilizado pelo caso. “A fraude está no DNA deste governo”. Em nota, o parlamentar afirmou que está estuando a possibilidade de ingressar com uma nova representação contra Dilma no Tribunal de Contas. “Mesmo prestes a ser condenada pelo TCU, Dilma insiste na fraude. É um explícito crime de responsabilidade, o que pode gerar a perda de mandato”, disse. Conforme revelou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, Arno Augustin negou oficialmente qualquer ilegalidade nos atrasos no repasse de recursos públicos a bancos. Em sua defesa entregue TCU na semana passada, ele transfere para os bancos a responsabilidade do pagamento das despesas de seguro desemprego, abono salarial e bolsa família.
Estadão Conteúdo
Compartilhe no Google Plus