Otto pede união com os oposicionistas para vencer crise

O senador Otto Alencar (PSD), ex-vice-governador da Bahia, defende abertamente que, nesse momento crítico pelo qual o país atravessa, a melhor saída é a união entre governo e oposição. Seu discurso pela unificação durante o evento em que o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, autorizou obras de saneamento para dez cidades baianas em Salvador, reverberou no meio político.Durante o ato público, Otto destacou o apoio que o prefeito ACM Neto (DEM) deu ao governo federal na votação de medidas provisórias que integravam o pacote de ajuste fiscal através da posição favorável da bancada baiana do DEM na Câmara Federal. O presidente do PSD na Bahia disse que Neto deixou “de lado” as divergências ideológicas para “ajudar o país”.Em conversa com a Tribuna, o pessedista reforçou sua tese ao rechaçar o time do “quanto pior, melhor” e explicou porque acredita que a união pode evitar o agravamento da crise. “Só tem esse caminho. Se radicalizar o processo, qualquer desgaste maior para a presidente Dilma Rousseff causado pela oposição, quem vai pagar é o povo com desemprego e com paralisação de obras”, argumentou Otto. “Nesse momento de crise que o país está atravessando, tem que ter unidade de todas as representações políticas. No evento de Kassab eu até destaquei a maturidade de ACM Neto com seu compromisso em ajudar a votar o ajuste fiscal. Ele sabe que poderia ser prejudicado enquanto prefeito. A arrecadação do ICMS poderia cair, como este ano já apresentou queda”, exemplificou o senador. 
Compartilhe no Google Plus