Políticos baianos estão esperando a reforma para mudar de partido

A tão aguardada reforma política em discussão na Câmara dos Deputados poderá causar uma reviravolta em diversos partidos, e a Câmara de Salvador deve começar o próximo ano com uma configuração bastante diferente.Além de J. Carlos Filho e Henrique Carballal, expulsos do PT, estarem para definir seus destinos partidários, pelo menos oito vereadores aguardam a aprovação da chamada “janela partidária” para definir se deixarão suas legendas de maneira juridicamente perfeita, sem sofrer a sanção do partido, que é de defender os seus mandatos.Destes, incluindo os ex-petistas, a maioria está na expectativa do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), decidir para onde vai, uma vez que o próprio anunciou o interesse em deixar sua sigla – as especulações giram em torno do PSDB e do PMDB.Embora a maioria deles desconverse sobre o assunto, nos bastidores afirma-se que, caso não seja aprovada a janela partidária, os edis insatisfeitos irão se desfiliar no último dia do prazo, em 05 de outubro, e seguirão com o prefeito, tido como um dos melhores do Brasil.Na cola de Neto, estão: Duda Sanches (PSD), que, assim como o pai, está com as relações estremecidas com o governo estadual; Euvaldo Jorge (PP); Tiago Correia (PTN), que anunciou que só ficará na sigla caso ela não permaneça com o PT a nível estadual, o que já é considerado impossível; Atanázio Júlio, suplente de Correia, licenciado para assumir a Limpurb; Isnard Araújo (PR); Sabá (PRB); Geraldo Junior (SDD) e Leandro Guerrilha (PSL). 
Compartilhe no Google Plus