CÂMARA MANTÉM DOAÇÕES ELEITORAIS DE EMPRESAS

MAIOR DEFENSOR DAS DOAÇÕES DE EMPRESAS, PMDB CONSEGUIU MAIORIA
CÂMARA MANTÉM DOAÇÃO EMPRESARIAL A PARTIDOS E CONCLUI REFORMA POLÍTICA (FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS)
O plenário da Câmara dos Deputados concluiu a votação nesta noite do segundo turno da Reforma Política. O último destaque da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) pedia que fosse retirado do texto a doação de empresas privadas para partidos políticos, o que foi rejeitado.
As bancadas do PT, PCdoB, PSOL e PPS defenderam que a permissão para o financiamento empresarial fosse retirado do texto, mas foram vencidas. Foram 317 votos pela manutenção da proposta aprovada em primeiro turno, 162 contra e uma abstenção. O texto segue agora para o Senado.
O tema causou polêmica na votação de primeiro turno, em maio. A aprovação do financiamento privado de campanha aconteceu após uma manobra executada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Num primeiro momento, o plenário rejeitou a proposta que incluía a permissão para que empresas doassem para candidatos e partidos. No dia seguinte, um novo texto foi aprovado e a permissão para doação a candidatos foi excluída. 
Na PEC que segue aos senadores, a doação de pessoas físicas ficou liberada para partidos e candidatos. Já o financiamento empresarial foi restrito aos partidos. (AE)
DIÁRIO DO PODER
Compartilhe no Google Plus