Mapeamento nas redes sociais indica aumento das citações a Lula

O mapeamento das publicações em sites de notícias, blogs, e nas redes sociais Twitter e Facebook durante os protestos deste domingo, 16, revelaram que, apesar de a presidente Dilma Rousseff continuar sendo a figura mais citada no ambiente virtual, houve uma forte diminuição nas menções a ela, enquanto aumentaram as referências ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que passou a ser um dos principais alvos das críticas. Mapeamento feito pela empresa Bites Radar apontou que as menções negativas ao ex-presidente no Twitter chegaram a 44.335, ante 28.237 nos protestos de março.Em 15 de março, data das primeiras manifestações de rua pró-impeachment deste ano, o nome de Lula apareceu em 28.237 posts no Twitter enquanto o de Dilma foi citado em 443.349 tweets, uma diferença de quase 16 vezes. Nesse domingo, o ex-presidente estava, até às 20h, presente em 44.335 posts contra 99.685 que citavam Dilma. Com isso, a diferença caiu para 2,2 vezes.Para o diretor da empresa, Manoel Fernandes, o fato surpreendeu a equipe que já vinha fazendo o mapeamento desde antes do protesto. “Na própria quarta-feira percebemos que o volume de pessoas (nos protestos) ia ser menor e que haveria uma homogeneidade de agenda. A questão do Lula foi o fator surpresa de hoje”, disse.Além do ex-presidente, outros personagens chamaram atenção no relatório divulgado pela Bites Radar. Entre os líderes da oposição, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi quem mais obteve apoio no Twitter com 17.096 preferências. O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), foi mais falado nas redes sociais (4.484 vezes) do que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), citado 1.704 vezes.
Estadão Conteúdo
Compartilhe no Google Plus