Oposição obtém assinaturas para CPI, mas investigação de obras deve ser natimorta

Oposição obtém assinaturas para CPI, mas investigação de obras deve ser natimorta
Minoria protocolou pedido de CPI com 21 assinaturas | Foto: Divulgação
Enquanto na Câmara Federal pululam informações sobre a instalação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs), na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) a oposição tenta, timidamente, abrir espaço para investigar eventuais irregularidades no pagamento de obras. Nesta terça-feira (4), protocolou um pedido de CPI com 21 assinaturas para apurar a transferência de obras da antiga Superintendência de Construções Administrativas da Bahia (Sucab) para a Secretaria de Educação. Conforme o pedido, batizado numa transposição pouco coerente de “pedaladas fiscais”, a oposição argumenta que houve problemas na execução de obras com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Como minoria, cumpre o papel de tentar fazer barulho. Porém, diante do contexto em que o governo possui significante maioria na AL-BA, dificilmente vai passar disso. A linha para que a CPI morra antes mesmo de começar é muito tênue. Basta o governista Robinho (PP) retirar a assinatura – ou qualquer outro endossador. E o governo não dará trégua para conseguir transformar a CPI em um natimorto. Ainda que a oposição consiga manter o projeto de instalar uma CPI, o caminho para conseguir a reverberação das xarás da Câmara Federal é mais longo do que os deputados gostariam.

BAHIA NOTÍCIAS
Compartilhe no Google Plus