Para governo, Vane e Davidson foram “pro saco” em Itabuna


Davidson (foto) e o prefeito Vane estão numa pior em Itabuna, segundo as pesquisas
A articulação política do governo do Estado jogou a toalha em relação à sucessão municipal em Itabuna. Com os péssimo índices obtidos pela administração do prefeito Vane do Renascer, o governo chegou a pensar na possibilidade da candidatura do deputado federal Davidson Magalhães, do PCdoB. A chegada de números de uma pesquisa recente sobre intenções de voto às eleições na cidade, no entanto, jogou um balde de água fria no time que defendia o nome do parlamentar, mentor da candidatura de Vane em 2012.. “É um nome que praticamente não existe na cidade”, confidenciou ao Política Livre uma fonte governista, criticando criador e criatura. Com isso, a disputa pelo lado do governo deve cair mesmo no colo do ex-deputado federal Geraldo Simões (PT), que voltou a se entender até com o secretário estadual de Relações Institucionais, Josias Gomes, depois de um estremecimento de anos. O governo acredita que pode enfrentar na cidade o deputado estadual Augusto Castro, candidato do PSDB à Prefeitura.
Política Livre
Compartilhe no Google Plus