PMDB PREPARA TERRENO PARA DEIXAR O GOVERNO

SAÍDA DE TEMER DA ARTICULAÇÃO ARROMBOU A PORTA DA INFIDELIDADE
SAÍDA DE TEMER DA ARTICULAÇÃO ARROMBOU A PORTA DA INFIDELIDADE NO PMDB
O vice-presidente Michel Temer abriu as “portas da infidelidade” da bancada peemedebista, que trabalha para aprovar, no congresso nacional do partido, o rompimento com o governo Dilma e o PT. Denunciado pelo Ministério Público, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, articula antecipar a convenção de novembro para outubro. Com Temer fora da articulação, o PMDB já pensa na transição do governo.
Na Câmara, a avaliação é que até o ex-presidente Lula abandonará Dilma. Com Aloizio Mercadante, o governo afundará. E rápido.
Osmar Terra (RS) lembra que na convenção do partido, em 2014, 42% defenderam não apoiar Dilma. “A situação piorou”, diz o deputado.
PP e PSD reconhecem a dificuldade. “Sem Temer, não funciona a articulação”, afirma Dudu da Fonte (PP-PE). Leia mais na Coluna Cláudio Humberto
Compartilhe no Google Plus