‘CORTES’ DISFARÇAM AUMENTO BRUTAL DE IMPOSTOS

CORTES PÍFIOS ESCONDEM O REAL OBJETIVO DE AUMENTAR IMPOSTOS
MINISTROS JOAQUIM LEVY (FAZENDA) E NELSON BARBOSA (PLANEJAMENTO) APRESENTARAM O NOVO AUMENTO DE IMPOSTOS E OS 'CORTES'. FOTO: VALTER CAMPANATO/ABR
Os ministros do Planejamento e da Fazenda apresentaram um pacote de “corte de gastos” muito abaixo das expectativas para um País que perdeu o grau de investimento e mergulhou na mais grave crise da sua história. Os “cortes” pareceram uma jogada esperta, uma cortina de fumaça para o que de fato o governo pretende: impor um aumento brutal de impostos de R$ 34,4 bilhões, para não mexer em privilégios.
Os ministros Nelson Barbosa e Joaquim Levy não definiram medidas estruturantes, tampouco propuseram cortes na média da necessidade.
Na prática, o governo quer evitar o desgaste dos cortes e, mais uma vez, faz a opção fácil de aumentar impostos e recriar a CPMF.
A área técnica do Ministério do Planejamento fez estudos para demitir metade dos terceirizados e redução de 30% dos servidores efetivos. Leia na Coluna Cláudio Humberto.
Compartilhe no Google Plus