Equipes da Samarco são retiradas após 'deslocamento' em barragem

Barragem de Fundão se rompeu no dia 5 de novembro, em Mariana (Foto: Reprodução/TV Globo)
Barragem de Fundão se rompeu no dia 5 de novembro de 2015 em Mariana. (Foto: Reprodução/TV Globo)
mineradora Samarco informou que aconteceu um deslocamento de 'massa residual', ou lama, na tarde desta quarta-feira (27) na barragem de Fundão, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais. De acordo com a assessoria de imprensa da mineradora, cujos donos são a Vale e a BHP Billiton, os funcionários foram retirados da área.
A mineradora também informou que a ocorrência aconteceu dentro da área das barragens, entre Fundão e Santarém, e não houve vazamento externo. Ninguém ficou ferido (leia nota na íntegra ao fim da reportagem).
A Defesa Civil e a Prefeitura de Mariana disse que tomou conhecimento do deslocamento, mas não foi ao local. O Ministério Público enviou uma equipe à Samarco para verificar a ocorrência.
O deslocamento de lama ocorreu, conforme a mineradora, por causa das chuvas dos últimos dias. Na última semana choveu muito na cidade, mas segundo a assessoria da Prefeitura, não chove nesta quarta-feira na cidade. Segundo a Samarco, as estruturas das barragens de Germano e Santarém permanecem estáveis com base no continuo monitoramento.

Tragédia em novembro
A Barragem de Fundão da mineradora Samarco se rompeu no dia 5 de novembro de 2015. O distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, foi o mais afetado. A enxurrada de lama também atingiu cerca de 40 cidades em Minas e no Espírito Santo. O desastre ambiental deixou 17 mortos e dois desaparecidos.

Leia a íntegra da nota da Samarco
A Samarco informa que ocorreu, na tarde de hoje, 27 de janeiro, uma movimentação de parte da massa residual da Barragem de Fundão devido as chuvas das últimas semanas.
De forma preventiva e seguindo seu Plano de Emergência, os empregados, que atuam próximo à área afetada, foram orientados a deixar o local.
Não houve a necessidade de acionamento de sirene por parte da empresa. As defesas civis de Mariana e Barra Longa foram devidamente informadas. Ressaltamos que o volume deslocado permanece entre a barragem de Fundão e Santarém, dentro das áreas da Samarco. A Samarco reafirma que as estruturas das barragens de Germano e Santarém permanecem estáveis com base no continuo monitoramento.



Do G1.
Compartilhe no Google Plus