Falta de larvicida é denunciada por prefeito de Retirolândia

dengue
Em pleno Dia D de Combate ao Aedes, mobilização que esteve acontecendo em todo o país no último sábado (13), a cidade de Retirolândia, no interior da Bahia, não tem um “pingo” do larvicida usado para combater o mosquito. Há mais de 60 dias, a cidade não recebe o produto e pior que isso, não há previsão de entrega. Os agentes tem visitado as casas e não colocam o produto nos ralos, saídas de água e possíveis focos do mosquito. O prefeito da cidade, André Martins, fez uso da suas redes sociais, neste sábado (13), para fazer o desabafo.
Confira o que ele escreveu: “Meus Amigos e Minhas Amigas. Todos sabem que não é do meu feitio, denunciar governos ou até mesmo postar notícias ruins em redes sociais! Mas hoje cheguei ao meu limite como gestor: A foto acima (foto na matéria) é do produto que o Município se utiliza para combater as larvas do mosquito Aedes: o que transmite a Dengue, Chikungunya e a Zica. Contudo o descaso e a irresponsabilidade dos Governos Federal e Estadual, únicos que podem adquirir tais larvicidas é inaceitável! Em pleno surto de tais doenças ficamos mais de 60 dias sem receber o produto da Dires/ Funasa. Assim, Temos 23 agentes de saúde visitando as casas sem o produto para combater o mosquito. Semana passada entregaram 2 Kg, 20 pacotinhos deste: não pudemos nem dar 1 a cada agente de saúde… Cada pacotinho desses da para visitar 7 ou 8 residências. Depois de mais de 60 dias o produto que chegou não durou nem 1 dia! Neste período de falta recorremos as piabas, isso mesmo: funcionários pescavam piabas e as soltavam nas cisternas infectadas!
E hoje acabei de ter notícia da Dires/ Funasa que NÃO temos previsão para chegada do produto em Retirolândia! O que fazer voltar a utilizar piabas enquanto os governos gastam fortunas com propaganda!
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário