Torcida do Bahia poderá ser reconhecida como patrimônio cultural

Exibindo BOBÔ SANDRO.jpg
Exibindo BOBÔ SANDRO.jpg
Parafraseando a música "A Taça do Mundo é nossa" que emblemou a seleção brasileira de futebol na Copa de 1958, a torcida do Esporte Clube Bahia também poderá ser considerada "nossa", caso o Projeto de Lei assinado pelos deputados Bobô (PCdoB) e Sandro Régis (DEM) seja aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado. O Projeto, protocolado nesta terça-feira, 1º, na Alba, propõe o reconhecimento da torcida do Bahia como Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado.

Numa justificativa consistente e até poética, os parlamentares utilizam a opinião de estudiosos, jornalistas, antropólogos e amantes do esporte, caracterizando o futebol como uma linguagem cultural importante para a identidade nacional e para a história contemporânea do Brasil. Os autores do PL reforçam que o futebol está inserido no imaginário coletivo como fator de identidade cultural, propagado de geração em geração, congregando pessoas, criando vínculos e contribuindo para derrubar barreiras sociais e raciais

Ex jogador e ex-técnico do Bahia, o deputado Bobô lembrou que o time, criado em 1930, construiu ao longo da sua trajetória uma história vitoriosa e identificada com os baianos. "A torcida do Bahia é considerada uma das maiores do país, com mais de 3 milhões de torcedores", frisou. Para o deputado Sandro Régis, líder da bancada de oposição na Casa, por toda a história do Clube e da sua torcida, esse reconhecimento fará justiça à grandeza de um time de futebol que congregou multidões, deu muitas alegrias e que a cada ano ganha mais torcedores e admiradores.

ASCOM// DEP. SANDRO RÉGIS
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário