DILMA VAI A NY FALAR MAL DO IMPEACHMENT

A EXPECTATIVA DO GOVERNO É INFLUENCIAR OS SENADORES COM AS REAÇÕES EXTERNAS FAVORÁVEIS À DILMA (FOTO: ROBERTO STUCKERT FILHO)

A presidente Dilma Rousseff decidiu viajar para os Estados Unidos para a cerimônia de assinatura do Pacto de Paris, na ONU (Organização das Nações Unidas).
Ela tem interesse zero nesse assunto. Seu objetivo, com a viagen, é falar mal do impeachment aprovado na Câmara dos Deputados e chancelado pelo Supremo Tribunal Federal, onde oito dos onze ministros foram nomeados por ela ou pelo ex-presidente Lua, do mesmo partido. Ela pretende fazer discurso na ONU para repetir a lorota de “tentativa de golpe no país”.
A decisão foi tomada na noite de ontem, 19, em reunião com assessores e auxiliares no Palácio do Planalto. A presidente já viaja amanhã, 21, para Nova York para participar do evento na sexta, 22. O discurso já começou a ser esboçado por ela, que terá cerca de cinco minutos para se pronunciar na cerimônia.
Ironicamente, quem vai ocupar a cadeira da presidente Dilma será seu desafeto, Michel Temer, vice-presidente da República. Dilma e governistas o acusam de tramar contra o governo.
O PT e o ex-presidente Lula estudam também uma rodada de denúncias internacionais, principalmente nos partidos de esquerda e nos fóruns de ONGs e movimentos sindicais.
A expectativa do governo é influenciar os senadores com as reações externas favoráveis à Dilma, dando indicação de que o impeachment pode pior a imagem do Brasil entre os investidores.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário