Bahia prevê déficit de R$ 2,4 bilhões e salários do funcionalismo público estão ameaçados

Foto: Breno Cunha / Varela Notícias

Pelo menos nove Estados e o Distrito Federal devem encerrar 2016 com deficit primário (despesas menos receitas), de acordo com levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo. A Bahia prevê um deficit primário de R$ 2,4 bilhões para o ano que vem e depende de recursos vindo de empréstimos para fazer investimentos, além de cobrir gastos obrigatórios com Saúde e Educação.

De acordo com Cláudio Peixoto, chefe de gabinete da secretaria de Planejamento da Bahia, o governo tem tomado medidas para estancar o sangramento na economia. “Temos tomados algumas medidas para mitigar este deficit, como a redução de gastos e renegociação de contratos”, falou à Folha.

Em comparação com 2013, no ano passado a Bahia arrecadou menos 3,6% e é o 12º estado que mais sofreu com a queda nas receitas. Cláudio ainda acrescentou que não sabe até quando o governo baiano conseguirá pagar salários do funcionalismo público em dia. “Até o momento estamos conseguindo, só não sabemos até quando. O cenário é muito ruim”, afirmou.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário