Dilma critica cortes de Temer e afirma que ele ‘terá que se ajoelhar para Cunha”

Após passar um tempo em silêncio desde que foi afastada oficialmente da presidência, Dilma Rousseff resolveu se pronunciar com relação ao governo Temer, em entrevista à Folha neste final de semana. A presidente afastada afirmou que antes de tudo foi traída por Temer, após questionamento.

“Óbvio. E não foi no dia do impeachment, foi antes, em março. Quando as coisas ficaram claríssimas”, disse ela, que emendou: “Você sempre acha que as pessoas têm caráter”.

Ainda durante à entrevista, Dilma afirmou que quem está por trás do Governo Temer é o Eduardo Cunha, fez severas críticas ao Presidente da Câmara afastado e deu a entender que Temer terá que ceder as imposições dele: “O Eduardo Cunha é a pessoa central do governo Temer. Isso ficou claríssimo agora, com a indicação do André Moura (para líder do governo na Câmara). Cunha não só manda, ele é o governo Temer. E não há governo possível nos termos do Eduardo Cunha. Vão ter de se ajoelhar”.

Dilma aproveitou a oportunidade ainda para criticar o time econômico de Temer e dizer que pretende voltar à presidência: “O pato tá calado, sumido. O pato está impactado. Nós vamos pagar o pato do pato, é?”

“Nós podemos reverter isso. Vários senadores, quando votaram pela admissibilidade, disseram que não estavam declarando (posição) pelo mérito (das acusações). Então eu acredito”.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário