ARTIGOS: AUMENTO SALARIAL DOS VEREADORES É JUSTO COM A POPULAÇÃO IPIAUENSE?


A Constituição Federal do Brasil, a nossa Carta Magna, reserva no papel direitos fundamentais para a vida humana como direito à moradia, saneamento básico, segurança, educação e tantos outros itens.  Esses direitos, na prática, são exercidos?

Em Ipiaú, por exemplo, existem diversos problemas que precisam ser sanados urgentemente como, por exemplo, a ausência de saneamento básico, a falta de atendimento e tratamento médico o suficiente para a população e também a criação de emprego e renda.

Esses são alguns aspectos que precisam ser vistos, principalmente agora que estamos em tempo de crise. Mas quem sofre com a crise? 
O trabalhador ou político? Como o dinheiro público está sendo utilizado por eles? Você já parou para analisar esse fato?

Durante a sessão da câmara de vereadores de Ipiaú, realizada nessa quinta-feira (30), os Edis estavam convictos e de consciência tranquila que estavam exercendo a lei e assim votaram no aumento do subsidio do prefeito, vice-prefeito, secretários e vereadores.

O prefeito ganhará dezesseis mil, o vice-prefeito oito mil, secretários e vereadores sete mil e quinhentos. Os aumentos serão validados para o próximo mandato.

O assistencialismo como prática política

Ao invés de aumentar o salário dos políticos, porque não destinar esse dinheiro para as escolas, para os postos de saúde, para a criação de pequenas empresas e cooperativas?

Observe quanto é o salário do professor, o do gari, do assistente social e do trabalhador rural e depois disso, compare com o salário que é pago para os vereadores.  O aumento salarial dos vereadores é muito maior do que qualquer classe trabalhadora. Isso é justo?  É ético? 

O aumento desta vez foi de mil e quinhentos de uma só vez. Válido ressaltar que quem paga essa conta somos nós.  Surge outra pergunta. Quem está em crise mesmo?

Um trabalhador comum tem que viver como pode e um vereador desfruta do bom e do melhor com seus gordos salários. Além disso, a maioria usa do assistencialismo para dizer que é bonzinho e que ajuda o povo.

Só lembrando, o assistencialismo não resolve os problemas, pagar uma conta de água, luz, levar no médico, dar dinheiro, só são formas de ludibriar a população e não é suficiente para estancar os problemas sociais.  

Como cidadão ipiauense e formador de opinião, não posso concordar com essa falta de vergonha e de respeito para com o nosso povo. Ao invés de disputar o poder deveriam pensar na melhoria da comunidade.

Se um trabalhador comum consegue viver apenas com um salário mínimo, por que o vereador também não pode?

Porque o vereador tem dois meses de férias ao ano e o trabalhador comum não?
Porque o vereador só vai uma vez por semana na câmara de vereadores e o trabalhador comum tem que trabalhar 40 horas por semana? 
Fica aqui uma reflexão.

Recentemente foi lançado em Ipiaú o movimento de redução salarial dos vereadores para o piso salarial dos professores. A campanha está sendo realizada pela internet. Assine a petição e participe das discussões.

Só deixando claro que:  O objetivo do blog Vicente Andrade não é de ferir ou manchar a imagem do vereador e sim, exercer a função de um jornalismo independente e alternativo para contribuir com o avanço democrático e da justiça social, da cidade de Ipiaú.

É necessário que os políticos e candidatos entendam o que é prioridade para a melhoria do nosso município. Mas ainda é possível que exista pessoas interessadas em mudar esse cenário!     

Acorda, Ipiaú!

Vicente Andrade
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário