Governo Temer quer restringir saques do FGTS um mês depois de autorizar resgate


O governo federal estuda restringir os saques do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), menos de um mês depois de ter autorizado o resgate do montante para contas inativas e sem novos depósitos após 31 de dezembro de 2015. De acordo com a Folha, depois de analisar os números, o governo descobriu que cerca de 2% dessas contas inativas concentram um montante expressivo do volume total de recursos que poderia ser sacado. A autorização liberaria R$ 30 bilhões do fundo. O governo considera restringir apenas as contas com saldo muito alto, possivelmente de pessoas com maior renda. Nesse caso, o governo de Michel Temer (PMDB) cogita que os trabalhadores apenas transfiram o dinheiro do FGTS para aplicações financeiras, ao invés de consumi-lo. Empresários envolvidos nas conversas do governo federal afirmam que liberar os saques em todas as contas debilitará a capacidade do fundo sustentar empréstimo para compra da casa própria. Ainda segundo a Folha, aliados ensaiam o discurso de que, se a restrição vier, deverá incidir um número pequeno de pessoas. Segundo a estratégia para blindar Temer, os trabalhadores endividados e de baixa renda serão preservados.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário