Austrália investiga 4.500 casos de pedofilia na Igreja Católica


Entre 1980 e 2015, Quase 4.500 pessoas denunciaram abusos sexuais a menores feitos por membros da Igreja Católica, na Austrália.

O relatório foi apresentado nesta segunda-feira (6) e mostrou que 78% dos denunciantes foram homens e 22% mulheres.

A advogada Gail Furness, conselheira da comissão real que investiga os casos, contou que as denúncias apontam para centenas de religiosos, 93 deles altos cargos da Igreja.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário