Jiboias são encontradas em casas de bairro de Salvador e assustam moradores

A ocupação desordenada do espaço urbano tem provocado um grave problema de desequilíbrio ambiental na cidade de Salvador. Nesta semana, uma série de jiboias foram capturadas em casas no bairro de Macaúbas.
De acordo com o capitão da Polícia Militar Moisés Brandão, da Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (Coppa), esse fenômeno ocorre, principalmente, em virtude do avanço das moradias para as áreas de mata. "Por conta do adensamento populacional, as pessoas começam a morar em locais onde há animais silvestres. Daí quando esses animais procriam, a tendência é que eles procurem locais seguros para viver", disse o capitão.
(Foto: Reprodução/Facebook) 

Segundo Brandão, a falta de cuidados em relação a higiene nas residências favorecem o aparecimento das cobras. "As pessoas costumam deixar lixo exposto, destampado, restos de comida pela casa e isso atrai roedores - sobretudo ratos - que são o alimento principal das serpentes", relatou. 
Além das cobras, a Coppa tem resgatado ainda outras espécies em casas de Salvador. "Já capturamos corujas, tamanduás, ouriços caixeiros, dentre outras espécies", disse. Todos os animais resgatados são levados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama, onde são avaliados e, quando possível, reintroduzidos à natureza.
De acordo com a polícia, este ano houve um aumento significativo das ocorrências com animais silvestres. No mês de janeiro, a companhia realizou 25 capturas. Enquanto que só na primeira semana de fevereiro foram recolhidos 27 animais. Em 2016, foram capturados ao todo 2301 animais na cidade de Salvador e Região Metropolitana. 
A grande maioria desses exemplares é de serpentes, principalmente jiboias, jararacas e sucuris. "Ao final do mês, será feito um estudo com biólogos e outros especialistas da área para entendermos o que provocou esse aumento", disse Brandão. 
Riscos de manipular os animais 
O capitão Brandão faz um alerta ainda para aqueles que manipulam animais silvestres sem o conhecimento necessário. Segundo ele, são muitos os riscos para a saúde humana que essa prática pode trazer.

"Ainda que uma jiboia não seja venenosa, ela carrega uma série de bactérias na pele e na boca que podem trazer uma série de complicações para a saúde humana. Além disso, os animais silvestres quando sentem que serão capturados tentam fugir e nisso podem atacar", esclareceu.
Brandão recomenda à população que ao encontrar um animal silvestre entre em contato com a Coppa através do telefone 3116-9150, para que uma equipe especializada vá até o local e realize a captura sem oferecer riscos às pessoas e aos bichos.
Vídeo mostra filhote de jiboia sendo manipulado em uma casa


Correio 24h
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário