Funcionários da FAVF desabafam sobre descaso do presidente; "Fomos chamados de ignorantes e mal educados"

Funcionários paralisaram as atividades e protestam ao lado da Fundação.

Nós, funcionários da Fundação Aurelina Virgília Fair, gostaríamos de esclarecer o motivo por estarmos em greve.
Ao longo dos anos, a Maternidade vem atravessando uma crise financeira, onde a receita não cobre as despesas que são muitas.
Estamos no 4° dia de greve, o presidente trancou a Fundação e não comparece para nos dar uma satisfação. Os associados da FAVF não aparecem para fiscalizar o que está acontecendo e alguns deles não estão ao nosso favor, ameaçando que "é melhor ficar sem receber, do que ficar desempregado", disse um deles.


Temos 2 salários e 40% atrasados, além de piso salarial desatualizados, férias vencidas, insalubridade não repassada. E estamos saturados de esperar por isso.
Queremos ressaltar que a FM local não nos deu espaço para esclarecermos a situação, inclusive o presidente da Fundação foi até a mesma e disse que somos mal educados e ignorantes, sendo que estamos lutando por um direito nosso.
Sabemos que a Prefeitura está com os repasses em dias, tanto a gestão passada, quanto a gestão atual. 
Porém desde novembro de 2015 a Fundação vem atrasando nossos salários, e em janeiro de 2017 completamos 3 salários e 40% de atraso.
Agradecemos aos vizinhos e ao SindiSaúde que têm nos ajudado.

Estamos aqui para pedir ajuda e apoio da comunidade. 
E a greve continua!!!!

ESPAÇO CEDIDO PELO IBIRATAIA NOTÍCIAS AOS FUNCIONÁRIOS DA FUNDAÇÃO AURELINA VIRGÍLIA FAIR.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário