PF diz que Lula e Dilma cometeram crimes para barrar Lava Jato


Um relatório da Polícia Federal acusa os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff de cometer obstrução de Justiça. O documento assinado pelo delegado de Polícia Federal Marlon Oliveira Cajado dos Santos, do Grupo de Inquéritos da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), também atribui ao ex-ministro Aloizio Mercadante os crimes de tráfico de influência e também obstrução de Justiça. A acusação sustenta que Dilma "embaraço ao avanço da investigação" ao nomear Lula para o cargo de ministro-chefe da Casa Civil em março de 2016. No caso de Mercadante, a PF lembra a conversa gravada com o ex-chefe de gabinete do ex-senador Delcídio Amaral, na qual o então ministro tentou barrar a delação premiada de Delcídio. Como os inquéritos estão no STF, o relatório sugere o declínio da competência dessa parte da apuração para a Justiça Federal do Distrito Federal para que Mercadante, Lula e Dilma possam ser denunciados na primeira instância judicial. O material de 47 páginas foi encaminhado ao ministro do STF Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo, e ao procurador-geral da República Rodrigo Janot.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário