Ministério Público aponta improbidade administrativa em secretaria de Salvador


O Ministério Público apontou indícios de improbidade administrativa na Secretaria de Saúde de Salvador em contratação de uma empresa para construir unidades de saúde na capital. A pasta teria obrigado a empresa AGL Serviço e Comércio a construir um campo de futebol no local que deveria ser construído um posto de saúde. O campo não estava previsto na licitação.

A licitação vencida pela empresa foi no valor de R$ 6 milhões. Segundo informações da coluna Brasil Confidencial, da revista Istoé, o contrato foi cancelado pela prefeitura, que chamou a segunda colocada, a AIF Construções. Após o cancelamento, A AGL teria acionado o Ministério Público.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) afirmou que a denúncia é “completamente infundada”. De acordo com a secretaria, a rescisão foi realizada porque a empresa não cumpriu cláusulas contratuais.

Em nota, a secretatria afirmou que “A AIF Brasil Construções, a segunda colocada no processo licitatório, chegou a ser convocada para substituir a AGL, mas declinou posteriormente. Com isso foi deflagrado novo processo licitatório cuja empresa ganhadora (REALIZA CONSTRUÇÕES E SERVIÇOS LTDA) deu seguimento a construção dos postos de saúde previstos no lote do primeiro certame”.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário