Acusado de matar cigano para se livrar de dívida é preso com carro roubado

Jailton  estava foragido (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O comerciante Jailton Carvalho Santos foi preso com dois carros roubados, nesta segunda-feira (24). Ele já havia sido preso em setembro de 2014 e foi condenado a 14 anos de prisão pelo assassinato do cigano Jair Ferraz de Almeida, mas conseguiu fugir da Penitenciária Lemos Brito, em novembro de 2016. Jailton matou o cigano para não ter que pagar uma dívida que tinha com a vítima, mas a morte de Jair desencadeou uma série de homicídios na família de Jailton. Entre os mortos estão os irmãos gêmeos Cézar Silvio e Silvio Cézar Carvalho Santos, em agosto de 2016. A Justiça emitiu um mandado de prisão para Jailton depois que ele fugiu da penitenciária e, por isso, ele estava sendo procurado. Nesta segunda-feira (24), investigadores da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) e do setor de inteligência da Polícia Militar ficaram de campana para prender alguns suspeitos de envolvimento no roubo de carros. O cigano Jair foi morto em agosto de 2014. Em depoimento, Jailton disse que ele e a ex-companheira, a professora primária Nilda Maria Fiuza, 52, passaram a ser pressionados pelo cigano para saldar a dívida de um empréstimo. O casal já havia pago R$ 43 mil, mas o agiota exigia mais R$ 79 mil. Jair chegou a exigir a casa da professora, avaliada em R$ 400 mil, como pagamento. No dia do crime, Jailton atraiu a vítima até a loja dele, na Avenida Mario Leal Ferreira (Bonocô). O cigano chegou ao estabelecimento e depois eles seguiram para o município de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. Ao chegar em um trecho da BR-324, Jailton sacou um revólver calibre 38 e efetuou dois disparos contra o cigano, que morreu no local. (Correio)
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário