MPF processa Bolsonaro por ofensas a negros e quilombolas

Se for condenado, Bolsonaro deve pagar uma indenização coletiva de R$ 300 mil

O Ministério Público Federal (MPF) do Rio de Janeiro abriu um processo contra o deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSC-RJ) por danos morais e coletivos à negros e comunidades quilombolas.

Bolsonaro participou de uma palestra no Clube Hebraica, no bairro de Laranjeiras e, segundo o MPF-RJ ofendeu e depreciou a população negra e também moradores das comunidades quilombolas.

Durante a palestra, o deputado afirmou que os quilombolas “não fazem nada, eu acho que nem pra procriar servem mais”.

Os procuradores afirmaram que, “com base nas humilhantes ofensas, é evidente que não podemos entender que o réu está acobertado pela liberdade de expressão, quando claramente ultrapassa qualquer limite constitucional, ofendendo a honra, a imagem e a dignidade das pessoas citadas, com base em atitudes inquestionavelmente preconceituosas e discriminatórias, consubstanciadas nas afirmações proferidas pelo réu na ocasião em comento”.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário