Cão morre após ser estuprado em Jequié


Um cão morreu após ser estuprado em Jequié. A informação foi confirmada ao GIRO por uma das integrantes da ONG Grupo Solar. O caso inicialmente foi tratado como atropelamento, mas segundo informações da página da ONG, ao ser atendido por uma veterinária foi constatado que os ferimentos do cão eram consistentes com o de abuso sexual. O fato teria ocorrido na noite desta sexta-feira (5), na rua Dom Pedro II, no bairro do Mandacaru. O cachorro tinha sido abandonado e deixado a mercê da própria sorte depois do ato criminoso. Caçulinho ou Aparecido (como os colaboradores da ONG Solar e algumas pessoas da rua em que ele morava o chamava) é um cão de rua, ele ficava sempre no Mandacaru, e geralmente dormia numa oficina. “Nós o alimentávamos, dávamos banho, e medicamento de verme. Ele é um cachorro de porte pequeno/médio, manso, dócil e bem cuidado, mas que vivia livre”. Informou uma das colaboradoras do grupo na página da ONG. Esse foi o segundo caso de cão estuprado na cidade de Jequié, em menos de um mês. “Isso nos desanima em relação à humanidade, que seres são esses que estamos criando? Uma pessoa dessas não poderá nunca ser chamada de humana. Para nós, é uma aberração, um monstro, um infeliz, que merece punição, merece pagar pelo crime que cometeu”. Informou o texto na página oficial do Grupo Solar.
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário